Publicado por: inwhitelight | 19 de Março de 2009

Shame on me!

Eu detesto a minha impulsividade. Eu detesto ter o coração perto da boca. Eu detesto ser uma pessoa que quando enervada perde o raciocínio.

Eu hoje detesto-me por ter explodido naquele momento e por ter dito o que disse e por ter deixado a minha mãe desapontada. Não há nada pior do que desapontar a própria mãe!

Depois de ela já me ter oferecido duas blusas e uns sapatos (isto porque eu detesto comprar roupa e se ela não me obrigar a ir nunca compro nada), e depois de eu já estar num estado de saturação por vestir top’s e blusas L e XL e nunca nada me servir (eu não estou assim tão gorda!!!!), estando numa loja em que eu achava tudo horrivelmente feio, ela insistiu comigo: “Escolhe umas calças que eu dou-te.“, “Mãe obrigada mas não quero”, Anda lá, aproveita!“, “Mãe já chega de compras!”, “Olha estas…“, “Mãe não quero, vamos embora, por favor!”, “Vamos ver se tem o teu tamanho“, “Oh mãe sinceramente… qual é a parte do não quero que não entendes?”… e diz a empregada ao lado: “Tu é que não estás a perceber que ela te quer dar umas calças e tu não aproveitas!”

DESCULPA??????????????

“Peço desculpa mas alguém lhe pediu a opinião? Olha que treta…”

Viro costas e saio da loja disparada enquanto a minha mãe passa pelo magenta, vermelho, fica escarlate e se desfaz em desculpas. Sai da loja e começa com: “Sua ingrata, não foi assim que te eduquei, ainda há pouco tiveste um cliente completamente estúpido contigo e vê como trataste a rapariga que só me estava a defender, não podes ser assim, porque assim não vais a lado nenhum, tens de aprender a engolir sapos, e a vestir-te já agora, eu só te queria dar umas calças, tu não compras nada de jeito, não podes dizer tudo o que te apetece, tens de saber aproveitar as oportunidades…”

Um rosconhofe infinito e abaixador de orelhas que até a alma lá no fundinho me dói!

Shame on me, shame on me, shame on me, shame on me… ela só me queria dar umas calças…

Anúncios

Responses

  1. Acredita que entendo-te, talvez melhor que ninguem.

    Pra proxima.. calma e muitaaaaa paciencia!

    bjinho

  2. Moça, não te martirizes. Mexerem-nos com a auto-estima é lixado e a empregada da loja perdeu uma boa oportunidade para estar calada: tivesse ou não razão, não tinha nada que se meter no assunto (ela é-te alguma coisa, para estar a defender a tua mãe?).

    Pronto, não tinhas nada que explodir e tens que te controlar no futuro, mas faz ver à tua mãe que estavas saturada e não te apetecia engolir sapos e aprender a vestir-te NESSE momento! As calças não acabam hoje nem as oportunidades de vocês irem às compras!

    Mas eu sei (acho que todas sabemos) a violência que é ter que comprar qualquer coisa num dia em que tudo parece assentar mal. Chega a um ponto em que mais vale parar e ir para casa pensar melhor no assunto. A tua mãe devia ter visto isso, em vez de te forçar! Explica-lhe isso com jeitinho, que ela entende!

    Ouvir da própria mãe que temos que aprender a vestir… nem que seja verdade, dói à mesma! A tua mãe devia também ver que tu já não tens 10 aninhos e que estavas perto de explodir!

    Para comprares a calças… na volta não é pior voltares lá sozinha e pedires-lhe o dinheiro depois! Dizes que foi assim uma inspiração que te deu!

  3. Abobrinha estou capaz de te dar um beijinho na boca neste momento…é impressionante como esta porcaria me afectou mas eu acho que até tive alguma razão…
    O pior é que o que me faz sentir pior é eu ter sido mazinha com a minha mãe à frente de outras pessoas… devem ter ficado a pensar: Olha que fedelha mimada! E eu não sou nada assim…
    Eu depois enchi a minha mãe de beijinhos, e ela: TENS DE TER CALMA!
    lol
    pois tenho… mas se aos 24 anos ainda não ma deram… não sei se vão dar…

  4. Eu até te entendo….
    as nossas mães conseguem tirar-nos do sério e depois… ficamos a sentir muito mas muito mal….

    mas acredita….
    isso é algo que com o tempo e com a idade vem… devagarinho mas vem…

    eu antes explodia muito mais facilmente com a mae do que agora…

    quanto a menina da lojinha….
    pois que não tinha nada que se meter!

    Beijinhos grandes

  5. ó rapariga, não há mal nenhum com a impulsividade. Aliás, até acho que foste tu que disseste que gostavas de ter a minha impulsividade quando comprei a guitarra :p

    isso nem é bem um caso de engolir sapos, é uma questão de contar uma mentira do caraças para justificar a saída. mas vá, já vi que ir a uma loja contigo contrariada deve ser uma experiência interessante :p

    no meu caso, vá lá que a minha mãe ainda me elogie o gosto para roupa, apesar de parecer constantemente como um certo médico coxo ou um membro dos joy division :p

  6. Agora percebo o teu “shame on me pela segunda vez” no coment ao meu post! 😉

    Se este meu coment fosse anterior ao da Abrobrinha, verias que eu diria exactamente o mesmo que ela disse no dela! Ou seja, o tal bjinho na boca também vale para mim, certo?! lol

    Não te preocupes com isso… pelo k vejo a tua mamã percebeu e desculpou a tua reacção… convém é não a repetir mais vezes! Tudo está bem quando acaba bem! 😉

  7. Inthewhitelight

    Eu tenho mais 10 anos que tu e posso-te dizer que a calma vem muito com o tempo. Claro que tens que a cultivar, mas ela vem. O chavão que me dizem é: relativiza tudo. E olha que é muito verdade!

    O que as outras pessoas pensaram não é muito relevante. O que disse a tua mãe é verdade, mas também é válido para ela: não se pode forçar a pessoa a sentir-se bem o suficiente para comprar uma peça de roupa. Aprende a distanciares-te dela (e de qualquer pessoa) quando vires que estás pronta a explodir.

    Quanto ao beijo na boca, não te esqueças de dizer isso quando estivermos ao pé de um daqueles meninos com fantasias com lésbicas, está bem?


Categorias

%d bloggers like this: