Publicado por: inwhitelight | 12 de Março de 2009

Hoje estou capaz de abrir um buraco na cabeça…

…e não é necessariamente na minha!!!!

Eu trabalho em comércio há 9 anos.

Eu detesto trabalhar em comércio… mas pelos vistos sou boa nisso, porque os clientes regra geral gostam muito de mim, bem como os patrões. Sempre que saí de um sítio foi porque arranjei outro emprego onde tinha melhores condições e a minha média de estadia num emprego é de 2 anos.

Sempre tentei arranjar emprego que não fosse em comércio, onde não tivesse que lidar directamente com (às vezes) centenas de clientes por dia, mas parece que estou condenada, apesar de me licenciar numa área completamente diferente, emprego só em comércio.

Eu diria que 60% dos clientes que atendo são indiferentes, 10% são pessoas muito simpáticas e 30% são clientes muito antipáticos. E esses 30% reduzem a NADA os restantes 70%.

Na loja onde trabalho há ano e meio, já vi serem despedidos uns 30 colegas, efectivos e a contrato, por tudo e por nada. A minha entidade patronal tem precisamente 3 dias para me dizer se fico efectiva ou se em Abril estou desempregada.

Eu nunca, em emprego algum, tive medo que me mandassem embora. Eu sei a excelente funcionária que sou. O meu patrão até já me disse que não me preocupasse que estou efectiva.

Hoje, pela primeira vez em 9 anos de comércio, um cliente fez queixa de mim no livro de reclamações e eu nem dei por nada…

Chega-me o grandessíssimo anormal à minha beira e diz-me: “Eu quero os auscultadores pelo preço que vi marcado!” e eu que não sabia de onde é que já vinha a conversa, chamei a colega da secção que me explicou que alguém colocou uns auscultadores mais caros no meio dos mais baratos e o cliente pegou neles. Chegado à caixa disseram-lhe o preço mais caro e que era efectivamente o correcto. Eu lá lhe expliquei que infelizmente isso acontece e que o cliente não deve atentar só ao preço mas também à referência que se encontra na etiqueta do preço e no produto.

Ele então pediu o livro de reclamações. Isto é algo que acontece dia sim, dia sim! Eu chamei a gerência para trazer o livro e continuei o meu trabalho. O chefe falou com o palerma que eu nem de Sr. posso tratar e fê-lo ver que podia reclamar à vontade mas levar pelo preço mais barato não levava. Meia hora depois e visto que ninguém lhe dava razão, ele resolve queixar-se na mesma, e o que é que ele inventa para se queixar??? Que eu me recusei a ajudá-lo e que foi mal atendido por mim. Eu que falei com ele um minuto no máximo, não fui mal educada e fiz o que ele pediu: pedi que trouxessem o livro de reclamações.

O meu patrão não quer saber de quem é a culpa… não tolera reclamações no livro.

Eu à conta deste filho de uma meretriz estou sujeita a ser despedida.

Anúncios

Responses

  1. que estupido….
    não só esse homem mas o gajo do teu patrão!

    cada uma!!!!!!!!!!

  2. Isso já me aconteceu um par de vezes, uma delas decidi comprar na mesma. As pessoas é que têm a rameira da mania de pegar numa coisa, passeá-la um bocado, e depois deixar no sítio mais próximo onde esteja uma coisa minimamente parecida.

    Mas porra, há gajos idiotas em todos os lados… não podes deixar um comentário em relação à queixa ?

  3. Que azar!:/ Ele há cada desaparafusado…!

    Desejo-te sorte para os próximos dias!
    Beijinho*

  4. eu acho incrível a linha de pensamento, ou fazem o que eu quero ou reclamo, é mesmo a português… que durante anos comeu e calou, agora que tem voz usam e abusam com ou sem razao… boa sorte-

  5. Há pessoas mesmo estúpidas! É esse tipo de gente que merece sair da loja e ser atropelado com um carro!

    Espero sinceramente que não sejas despedida… Esse tipo de gente não deve ganhar!

    beijinho grande

  6. O gajo é uma besta, diria eu, mas o teu patrão, quer dizer…

  7. Que cabrão! Fogo! espero que tudo corra pelo melhor, mesmo! Tiveste azar, mas acredito que tudo corra bem porque, tal como disseste, és competente!

    Beijinhos!


Categorias

%d bloggers like this: